segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Carta para a minha irmã. Parabéns!


5 de Janeiro de 2015.
Pela primeira vez, passas o teu aniversário longe de casa, da família, de nós. Está quase a fazer um ano que arriscaste tudo e emigraste para Inglaterra em busca de um futuro melhor para ti. Foi nessa altura que senti pela primeira vez a dor da despedida num aeroporto, porque não sabia quando te voltaria a ver. Acabaste por aparecer surpreendentemente no meu quarto sem aviso prévio dez meses depois, e a minha surpresa foi tal que nem consegui dizer nada, só te conseguia abraçar.
Nunca é demais dizer que admiro imensa a tua coragem. Já admirava a tua coragem (ou loucura) por andares em carrosséis vertiginosamente assustadores e por participares em actividades capazes de revolver o estômago a qualquer pessoa, como o salto de queda livre. Ainda me pergunto como és capaz disso tudo.
Eu passei três meses em Espanha e pareceu-me imenso tempo longe de vocês. Um ano pareceria uma eternidade, e pensar que irá ser para toda a vida é assustador.
Assusta-me a ideia de te ver apenas duas ou três vezes por ano. Assusta-me vir a ser tio de um sobrinho que não verei crescer de perto, que não poderei tomar conta quando precisares de espairecer. Assusta-me pensar que se precisares da nossa ajuda, eu e o pai pouco ou nada poderemos fazer.
Apesar de tudo, fico feliz por estares nesta aventura vitalícia com o homem que amas e com quem irás casar este ano. Saber que estão juntos e que têm o apoio um do outro é o que me dá paz e segurança e me permite continuar a minha vida sem pensar constantemente se estarás bem. Sei que te darás cada vez melhor em Inglaterra e que terás um futuro brilhante à tua frente.
Tive a sorte de ter uma infância em que convivi de perto contigo e são essas recordações que me alegram neste dia. Nunca me esquecerei das nossas brincadeiras, nem das nossas zangas, em que a destruição dos teus castelos de areia cuidadosamente elaborados será para sempre um clássico a recordar. O pai que o diga! Foste a primeira amiga que fiz nesta vida, era contigo que ia andar de bicicleta nas férias de Verão e era contigo que brincava à noite, em casa, naquela altura inicial da vida em que pensamos que somos imortais e que nada irá mudar nunca.
No entanto, foi também contigo e com o pai que vivemos uma dor impossível e inimaginável. Sei que pensas na mãe especialmente neste dia porque não receberás os parabéns nem os mimos dela, mas sabes bem que este era um dia muito especial para ela, ou não se tratasse do dia em que foi mãe pela primeira vez. Apesar de ser sempre especial o dia em que temos um filho, seja ele o segundo, terceiro ou quarto, sei perfeitamente que a primeira vez é a mais marcante. Onde quer que ela esteja, está feliz e orgulhosa de ti, Neuza. E logo este ano em que te vais casar, tenho a certeza que ela observará toda a cerimónia e a festa com aquele sorriso dela, e gritará a todos que és a noiva mais linda que já existiu. E ai de quem a contrarie!
Fazes 27 anos. Conheço-te há 24. Não poderia ter mais sorte, acredita. Tal como disse no lançamento do meu livro o ano passado, foste uma das responsáveis por eu ser hoje quem sou (seja isso bom ou mau!).
Tenho mesmo pena que tenhas apanhado uma fase deste país bastante ingrata para os jovens e que Portugal te tenha obrigado a emigrar. Tenho pena e raiva. Raiva porque me privaram de continuar a conviver contigo e de te seguir de perto. Raiva por chegar a casa depois do trabalho e não poder jantar contigo e com o pai, ou de não passearmos os três em dias solarengos quando quisermos. Mas isso é algo a que nos temos de adaptar.
Agora olho para ti e vejo uma mulher feita. Ver-te vestida de noiva fez-me ver que já não és aquela rapariga tola de óculos e aparelho que pensava ser mais forte que eu. Agora és uma mulher que se vai casar. E eu serei o teu Best Man. É uma honra muito grande e espero ajudar no que puder. Agora e sempre.
Com isto tudo quero apenas desejar-te um feliz aniversário e nunca te esqueças que eu e o pai estamos a torcer por ti com imenso orgulho e saudade.
Parabéns!
Ou melhor: Happy Birthday!
Até já, mana.


Nenhum comentário:

Postar um comentário